Notícias

Atlético vence na despedida de Mano Menezes do clássico

Por Alexandre Simões, 04/08/2020 às 16:35
atualizado em: 04/08/2020 às 19:27

Texto:

Foto: Bruno Cantini/ Atlético
Bruno Cantini/ Atlético

Menos de 20 dias após o Cruzeiro eliminar o Atlético nas quartas de final da Copa do Brasil, mesmo com uma derrota por 2 a 0, no Estádio Independência, os dois rivais voltaram ao Horto, para se enfrentar pelo turno do Campeonato Brasileiro.

A Raposa já vivia um momento de grande pressão, pois brigava contra o rebaixamento na Série A e tinha sido eliminada da Copa Libertadores, nas oitavas de final, pelo River Plate, da Argentina, cinco dias antes.

Com dois gols no final de cada tempo, marcados por Vinícius Góes, aos 41 da primeira etapa, e por Nathan, aos 46 da segunda, o Galo fez 2 a 0 naquele que foi o último clássico de Mano Menezes no comando do Cruzeiro. Três dias depois, após derrota de 1 a 0 para o Internacional, no Mineirão, pelas semifinais da Copa do Brasil, ele pediu demissão após quase três anos no cargo.

A FICHA DO JOGO
ATLÉTICO
2
Cleiton; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Jair e Elias; Cazares (Geovânio), Vinícius Góes (Nathan) e Chará; Ricardo Oliveira (Papagaio). Técnico: Rodrigo Santana
CRUZEIRO 0
Fábio; Orejuela, Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Ariel Cabral (Robinho); Marquinhos Gabriel, Thiago Neves (David) e Pedro Rocha (Sassá); Fred. Técnico: Mano Menezes
DATA: 4 de agosto de 2019
LOCAL: Independência
MOTIVO: Campeonato Brasileiro
GOLS: Vinícius Góes, aos 41 minutos do primeiro tempo; Nathan, aos 46 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: Leandro Vuaden (RS), auxiliado por Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Neusa Inês Back (SP)
CARTÃO AMARELO: Jair e Elias (Atlético); Orejuela, Thiago Neves e Fred (Cruzeiro)
PÚBLICO: 11.201
RENDA: R$ 546.290,00

MAIS HISTÓRIA

OUTRO JOGO: Na sua caminhada para o título do Campeonato Mineiro de1946, que foi disputado em três turnos, uma marca do Atlético foi não perder os clássicos para o Cruzeiro. No primeiro e terceiro turnos, o Galo fez 2 a 0.

O maior risco de derrota foi no segundo turno, quando a Raposa chegou a abrir 2 a 0 no placar, em confronto disputado no Barro Preto. Mas Lêro brilhou e decretou a igualdade para os atleticanos.

A FICHA DO JOGO
CRUZEIRO
2
Sinval; Bibi e Bituca; Adelino, Hemetério e Juvenal; Nogueirinha, Buchelli, Niginho, Alcides e Ismael. Técnico: Francisco Trindade
ATLÉTICO 2
Kafunga; Murilo Silva e Ramos; Mexicano, Zé do Monte e Silva; Lucas Miranda, Xavier, Mário de Sousa, Lêro e Nívio. Técnico: Félix Magno
DATA: 4 de agosto de 1946
LOCAL: Estádio do Barro Preto
MOTIVO: Campeonato Mineiro
GOLS: Ismael, aos 5, Alcides, aos 34, e Lêro, aos 44 minutos do primeiro tempo; Lêro, aos 15 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: Geraldo Toledo
PÚBLICO: 13.436
RENDA: Cr$ 82.000,00

OUTRO JOGO: Com o Campeonato Mineiro de 1935, que previa a disputa de três turnos, abreviado, pois o Villa Nova disparou na frente da classificação e a Associação Mineira de Futebol (AMF) suprimiu o terceiro turno, o restante da temporada dos clubes foi com a disputa de amistosos.

Este confronto entre Palestra Itália (Cruzeiro) e Atlético, no Estádio Antônio Carlos, em Lourdes, foi definido num primeiro tempo de muitos gols, com os atleticanos fazendo 3 a 2, de virada, numa etapa que teve a rede balançando do primeiro ao último minuto.

A FICHA DO JOGO
ATLÉTICO
2
Armando; Tião (Evando) e Murilo; Jacyr, Lola e Bala; Lello, Paulista, Nicola, Guará e Elair. Técnico: Floriano Peixoto
PALESTRA ITÁLIA
Geraldo; Ninão e Gegê; Souza, Ferreira (Chinda) e Mundico; Piorra, Orlando Fantoni, Niginho (Chiquinho), Bengala e Alcides. Técnico: Matturio Fabbi
DATA: 4 de agosto de 1935
LOCAL: Estádio Antônio Carlos (Lourdes)
MOTIVO: Amistoso
GOLS: Alcides, a 1, Lello, aos 10, Tião (contra), aos 34, Elair, aos 41, e Guará, aos 45 minutos do primeiro tempo
ARBITRAGEM: Dunorte André

NASCIMENTO: Em Lajeado (RS), em 1953, nasce Pedro Antônio Simeão, o Pedrinho Gaúcho, ponta direita que defendeu o Atlético de 1979 a 1981 e foi tricampeão mineiro pelo clube, em 1979, 1980 e 1981.

Ele era o titular do grande time vice-campeão brasileiro de 1980, formando o trio de ataque com dois grandes craques, Reinaldo e Éder.

NASCIMENTO: Em Guarulhos (SP), em 1983, nasce Rafael da Silva Francisco, o Rafinha, meia que defendeu o Cruzeiro de 2016 a 2019 e foi fundamental na conquista do bicampeonato em sequência da Copa do Brasil, em 2017 e 2018.

Além disso, ele foi também bicampeão mineiro, em 2018 e 2019, em títulos conquistados pela Raposa em finais diretas contra o Atlético.

NASCIMENTO: Em Contagem (MG), em 1986, nasce Sérgio Antônio Borges Júnior, o Serginho, volante revelado pelo Villa Nova, que defendeu o Atlético por sete temporadas, ganhado quatro edições do Campeonato Mineiro (2007, 2010, 2012 e 2013).

Ele chegou a fazer parte do grupo campeão da Copa Libertadores, em 2013, mas deixou o clube antes da conquista do título. De toda forma, ele fez parte da primeira lista de inscritos do clube e tem a competição no currículo.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'O projeto introduz dispositivos claros e objetivos, com penalidade para aqueles que prestarem informações falsas ou deixarem de executar as medidas compensatórias', defend...

    Acessar Link