Notícias

Vizinha diz que matou criança para se vingar da mãe da vítima: 'a culpada de tudo é a mãe dela'

Por Redação, 09/08/2019 às 18:37
atualizado em: 10/08/2019 às 10:21

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00

A Polícia Civil apresentou na tarde desta sexta-feira Sara Maria de Araújo, de 38 anos, que confessou ter assassinado Amanda Calais, de 6, em Divinópolis, na região Centro-Oeste de Minas Gerais. O crime foi cometido nessa quinta-feira (8). A suspeita disse que matou a menina para se vingar da mãe da vítima, que a teria denunciado para o Conselho Tutelar.

“Eu pensei como é que uma mulher, uma mãe tira uma filha de outra mãe? Que coração é esse? Que demônio é esse? Que ordinaridade é essa? Eu queria, na verdade, era a mãe, não era a criança. Se eu tivesse com um revólver, era ela que eu ia pegar. Ela [Amanda] era um anjo, eu só tenho que pedir perdão para a mãe dela, eu queria era a mãe e a culpada de tudo é a mãe dela”.

Questionada sobre ter escondido o corpo da criança, a investigada disse que temeu a reação da mãe de Amanda e que se arrepende do que fez. “Na hora, a dor que eu estava sentindo era tão forte, de lembrar que eu ia perder a minha [filha] também. Ela [mãe da Amanda] não pensou em mim. Agora eu caí em si que foi covarde mesmo”. 

A mãe da vítima disse que chegou com a menina em casa por volta das 17h e depois percebeu que a criança havia sumido. Populares começaram a ajudar nas buscas e, por volta de meia-noite, encontraram o corpo no quintal de uma casa próxima à que a menina morava. 

Segundo o delegado Leonardo Pio, Sara tentou assassinar a menina de várias maneiras e a matou afogada. “Ela alega que atraiu Amanda até a sua residência. Através de uma corda ela tentou estrangular a vítima, que ficou desacordada. Percebendo que ela ainda não havia morrido, ela pegou a cabeça dela [da vítima] e mergulhou em um balde."

Sara não tinha passagens pela polícia e é investigada por homicídio qualificado e fraude processual, por ter alterado a cena do crime. Ela pode pegar até 30 anos de prisão.  

Leia mais:

Menina de seis anos é assassinada em Divinópolis, e vizinha assume crime
 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link