Notícias

Quem teve dengue pode estar protegido contra zika, diz especialista

Por Jacqueline Moura/Itatiaia, 31/07/2019 às 10:24
atualizado em: 31/07/2019 às 10:28

Texto:

Foto: NIAID
NIAID

Durante congresso de medicina na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), especialistas promoveram discussões sobre as principais doenças tropicais que assolam o país, como dengue, zika e chikungunya. Uma notícia boa, confirmada durante o evento, é que a pessoa que tem o vírus da dengue pode estar protegida contra o vírus da zika. 

“Quando tivemos o início da epidemia da zika, estudamos até se a microcefalia poderia ser causada pelo vírus da dengue. Isso porque os vírus da dengue e zika são muito parecidos. Depois de alguns anos de estudos na área, descobrimos que, na verdade, o que acontece é o contrário. As pessoas que tiveram dengue, antes de ter zika, apresentaram poucos, ou nenhum sintoma da zika. Então a pessoa ficou protegida contra a zika. A notícia é ainda melhor quando falamos em vacina contra a dengue. Uma dose contra a dengue pode imunizar a pessoa também contra a zika”, detalha o médico e professor da Universidade de São José do Rio Preto, Maurício Nogueira.

Uma preocupação dos especialistas é a dificuldade em reduzir a população de mosquitos aedes aegypti, já que inseticidas usados estão tornando os mosquitos mais resistentes. De acordo com o pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz, José Bento, a solução mesmo para acabar com aedes é a ajuda da população. “Sem o uso dos inseticidas, a outra solução para acabar com o mosquito é a contribuição da população para eliminar os criadouros. Além disso, temos problemas sociais como o abastecimento de água, saneamento básico, lixo jogado em qualquer local, isso tudo contribui para que o mosquito se reproduza”, alerta o pesquisador. 

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, neste ano, foram contabilizados até o momento, 460.721 casos prováveis de dengue. Foram confirmadas 117 mortes causadas pela doença. Já em relação à Zika, foram registrados 958 casos prováveis  em 2019, até a data de atualização do boletim, na última segunda-feira, dia 29 de julho.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link