Notícias

Alerta! Pombos podem ajudar na transmissão de meningite e outras doenças

Por Jacqueline Moura/ Itatiaia, 06/05/2019 às 10:19
atualizado em: 06/05/2019 às 10:20

Texto:

Foto: Agência EBC
Agência EBC

A superpopulação de pombos pode ajudar na propagação de doenças pulmonares, gastrointestinais e dermatites. Pode haver também a transmissão da criptococose, conhecida como doença do pombo.  Os fungos que se desenvolvem nas fezes do pássaro podem ser inalados e se instalam nos pulmões, podendo migrar para o sistema nervoso central e causar a meningite. 

“As pessoas que correm o maior risco de desenvolver a meningite por meio da criptococose são as pessoas que estão com a imunidade comprometida. AIDS não tratada e não controlada, tratamento de câncer com uso de quimioterápicos e uso de corticoides para tratar artrite ou reumatoides comprometem a capacidade de defesa do organismo e aumentam as chances de infecções causadas por fungos”, alerta o infectologista Carlos Starling. 

O médico destaca que a preocupação com os pombos é legítima, os pombos estão associados à transmissão de várias outras doenças, além da meningite. As pessoas que têm a imunidade comprometida devem evitar locais habitados por pombos e o próprio contato com os pássaros. “No caso das meningites, é importante lembrar que temos as vacinas disponíveis nos postos de saúde”, detalha. 

De acordo com informações da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, são 149 casos de meningite confirmados em 2019. A doença já matou 19 pessoas no estado somente neste ano. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo, nos últimos 20 anos, foram reportados quase 1 milhão de casos com suspeita de meningite e 100 mil pessoas morreram.  No Brasil, cerca  de 2,5 mil pessoas são atingidas pela meningite por ano. Os dados são do Ministério da Saúde. 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link