Wellington Campos

Coluna do Wellington Campos

Veja todas as colunas

25 anos do Tetra, como foi lindo

A Seleção Brasileira, comandada por Carlos Alberto Parreira, vinha de um fracasso em 1990, na Itália, e vencer era uma maneira de demonstrar a força do nosso futebol

17/07/2019 às 05:50
25 anos do Tetra, como foi lindo

 

Estamos comemorando os 25 anos do tetracampeonato mundial da Seleção Brasileira em 1994, nos Estados Unidos. Foi a última Copa onde a vitória valia dois pontos e eram permitidas apenas duas substituições durante a partida. Ou seja, um empate não era resultado ruim como hoje.

A Seleção Brasileira, comandada por Carlos Alberto Parreira, vinha de um fracasso em 1990, na Itália, e vencer era uma maneira de demonstrar a força do nosso futebol.

Muitos citam Romário como o grande nome de 1994. Porém, o grupo era muito qualificado. Do goleiro Taffarel até o Zinho, chamado de enceradeira naquela época por ajudar o meio-campo, como fez Zagallo nas Copas de 1958 e 1962.

Aliás, Zagallo fez um trabalho importante de ser o escudeiro de Parreira quando o time não jogava tão bem como desejava a imprensa. O ‘Velho Lobo’ puxava a polêmica pra ele e debatia com os jornalistas deixando o treinador apenas com a missão de preparar seus comandados.

O jogo mais difícil na minha visão foi Brasil e Estados Unidos, disputado no dia 4 de julho, aniversário da Independência americana. Romário foi buscar a bola no meio-campo, driblou os adversários e serviu Bebeto para um lindo gol. Ali começava definitivamente a caminhada para o Tetra.

O jogo final ao meio-dia, por causa da transmissão da TV para o mundo inteiro, e um calor de 42ºC deixou o jogo pouco interessante, como foi também a prorrogação e até os tiros livres da marca do pênalti onde Taffarel brilhou demais.

Lembro-me daqueles que torciam contra o Brasil dizendo que o título não tinha a devida importância por ter sido nos pênaltis. Mas as ruas diziam o contrário e o povo, em festa, vibrava após 24 anos com o título da Copa do Mundo de 1994.

Belas lembranças, e obrigado aos campeões, uma coisa que você conquista e ninguém pode tirar!

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link