Anônimo

Coluna do Anônimo

Veja todas as colunas

A muleta do futebol 

O VAR não erra gol e o toque de bola só é válido quando ela termina dentro da rede.

21/04/2019 às 01:57


Vinnicius Silva/Cruzeiro

Amigos, desde a época de Nelson Rodrigues chamamos o jogador ruim de bola de perna de pau. O que o nosso ídolo e até nós mesmos não imaginávamos era que esse analfabeto do esporte ganharia uma muleta quando decorridos anos 2019. 

Eu não sei bem se estou a fazer uma boa analogia, porque os pernas de pau costumam ter raça, e os times atuais não têm sequer razão, quanto mais raça. Mas vamos lá: essas equipes de hoje ganharam uma muleta chamada VAR. É no árbitro de vídeo que elas se apoiam para justificar cada derrota. Vejamos por essas finais do Campeonato Mineiro.

Amigos, o time do Atlético está feio de ver nesta temporada. A derrota para o Cruzeiro não foi porque o VAR viu o que viu. Foi porque o time adversário era superior. Se tivemos uma surpresa nessas decisões foi a equiparação que a equipe atleticana mostrou nos jogos, que até então pareceria se resolver ainda no primeiro duelo, com goleada celeste. 

O mesmo se dá ao Cruzeiro que, com um time muito mais preparado - até mesmo psicologicamente, pela pressão que o Atlético vinha sofrendo -, ainda foi para o microfone reclamar da Federação, do VAR, do rival e do escambau a quatro. Frágeis muletas. 

O futebol se joga dentro das quatro linhas e por 22 atletas. A arbitragem está ali como auxílio, e tem muito menos poder de decisão do que quem está com a bola nos pés.

A derrota do Atlético é positiva para que não camufle as mudanças que o clube - mais que apenas o time - precisa sofrer. O título poderia ser como a vitória sobre o Zamora: uma condolência em cemitério. O título poderia estagnar novamente a equipe, até mesmo efetivando Rodrigo Santana pelo desempenho de duas partidas. 

A vitória do Cruzeiro é positiva para a temporada constante que apresenta. E o sufoco foi importante como desafio do time em uma adversidade e um choque de realidade de que há uma diferença muito grande entre jogar recuado e desperdiçar chances de gol. Independentemente do perfil “retranqueiro” de Mano Menezes, o time tem muita qualidade ofensiva para querer decidir a hora de arriscar. 

Os meios não justificam os fins. O VAR não erra gol e o toque de bola só é válido quando ela termina dentro da rede. Muletas apoiam doentes, e se isso virar uma epidemia, o primeiro a morrer será o futebol. Foco nele, foco na bola.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    🎬 A #ViradaCultural2019 parou o Centro de BH. E aqueles espaços que você passa correndo de transporte todos os dias… https://t.co/fOf8wvbpBP

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽Atlético não perde no Independência há 15 jogos, feito alcançado pelo time de 2013.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    De acordo com informações da PM, militares do batalhão Rotam faziam operação em um ponto de tráfico de drogas na avenida Central e foram recebidos a tiros.

    Acessar Link